Publicado por: Ana | Agosto 29, 2006

Apanho pedaços do chão, fragmentos dispersos de ti e de mim; memórias que se soltam em frases entrecortadas por sorrisos e olhares que falam sem necessitarem de palavras.
As saudades ficam: dos beijos que não foram trocados, das carícias que não se soltaram.
E tanto que ficou por dizer, por fazer…
Há momentos que são irrepetíveis pela magia que criaram mas outros haverá, necessariamente diferentes e não menos intensos, talvez.

Colo os pedaços, um a um, saboreando o que me trazem. Reconstruo um abraço. De despedida? De boas-vindas? Não importa.
Sigo com o olhar e percorro o meu caminho. Não igual ao teu, mas paralelo…


Responses

  1. Querida Ana
    Um post especialmente belo. São pedaços de ti, pedaços de nós, que vão sendo espalhados por aqui… há quem os junte, há quem não consiga ver o todo, mas de alguma forma, uma imagem desfocada sempre se vislumbra…
    Um beijo
    Daniel

  2. A vida nao passa mesmo de fragmentos e memórias…
    Gostei especialmente da ultima frase.

  3. Gostei… especialmente da vontade de apanhares os pedaços do chão e de acreditares. Se assim não fosse, não os Colavas… aos pedaçosss… um a um!!!
    Beijo de miudaaa

  4. Em abstracto se anda por aqui…
    A mestria não é estática. Fazemo-nos em pensamentos e momentos. Alguma obsessão de conteúdos. Nego as intenções curativa da mente perfeita. Olho-as respeitando um estado próprio comum, a tantos… Repetidas em emoções, com leituras, que jorram um despojamento linguístico com estados de alma isentos de patologias, sem regras ou doutores. Reflectir, acto de liberdade em sorrisos. É simples dizer que o tempo escasseia para distrair. Soltas e pensadas, as ilusões quem pensa assim. Andam distraídas, sobre o pintado de fresco nestes bairros de tantos escritos. Depois vem a ordem da perfeição que também não existe com defeito natural. As gargalhadas deixam de ter uso na ignorância generalizada. Difícil lidar com pessoas que julgam que ainda pensam no vazio. Não são cacos ou partes descritas, são mensagem que cada um partilha por bem, mas em abstracto, e dizemos e comunicamos.

  5. adorei o texto!
    colar os pedaços resolverá a situação?!
    talvez…
    quem ama acredita!

  6. Às vezes a melhor opção é mesmo guardar as memórias e seguir esse caminho paralelo, ou oposto, quem sabe… vamos caminhando passo a passo e descobrindo onde o destino nos leva.

    Beijo

  7. E porque não lado a lado? Basta que os pedaços se colem nos sítios certos.

  8. Passei para deixar um beijinho. Tens um blog muito bonito. Quanto aos posts , muito interessantes.
    Beijinhos

  9. A vida é uma colecção dos bons e maus momentos …

    E o resultado dos caminhos que nós tomamos!

    Bjks da matilde

  10. na verdade andam na mesma direccao…
    gostei muito do novo template 😉
    um beijinho

  11. Tantas respostas e eu sem tempo para aqui vir.
    Beijos, beijos a todos!
    E obrigada…

  12. Gostei muito do texto.
    As tuas palavras mexeram com os meus fragmentos, colado uns, separando outros. Agora só falta decidir se devo seguir um caminho paralelo ou um oposto.
    Gostei mesmo muito do texto.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: