Publicado por: Ana | Maio 18, 2006

Despojo-me de roupas e adereços e deito-me no chão de frios mosaicos. Liberto a alma, solto o pensamento e deixo-me ir para o nada. Porque nada sou. Apenas chão e corpo.
Quero ficar assim para sempre. Chão e nada, nada e corpo; frio.
Arrasto-me sem caminho traçado para onde o destino me leva. Inerte, amorfa, não quero saber onde estou. Nem se estou, sequer.
Apenas quero não sentir para sempre.

Foto de KONRAD GÖS


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: