Publicado por: Ana | Abril 24, 2006

Always the sun

Acaricias-me a pele com os teus raios quentes, enquanto me envolves num abraço.
Fecho os olhos. Quero-te sentir assim, despojada de outras sensações senão o calor que me transmites.
Toco-me com os dedos e sinto conforto; sorrio.
A tua luz não permite que a escuridão cerre o que me rodeia, mesmo de olhos fechados.
Poderoso…
Devagar, reabro os olhos, para me habituar à tua luminosidade. Estás a brincar com os meus cabelos, pondo-lhe reflexos arruivados. Brinco também contigo e sacudo a cabeça, para que uma dança de cores tome conta dos meus ombros.
Estendo as mãos para ti. Tu, que nos tocas a todos, és intocável. Quero segurar-te mas não consigo. Não és meu, não és de ninguém.
Adivinho o teu percurso para o ocaso onde, depois de me deixares aquecerás outras vidas
E fico eu banhada com a pálida luz da lua, para sempre.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: