Publicado por: Ana | Fevereiro 5, 2006

Acorda, como de costume, ainda o sol espreita tímido por detrás dos estores.
As janelas, sem cortinados, deixam entrar a pouca luz já existente.
Os pés descalços tocam o chão frio, sem tapetes.
Olha em redor; no quarto, apenas a cama grande quebra o amarelo das paredes.
Ri baixinho enquanto percorre as divisões uma a uma, quase vazias de móveis mas recheadas de projectos.
Nem sabe como se meteu em semelhante aventura, mas sente-se tão feliz…
Toma um banho e seca o cabelo com cuidado. A roupa, escolhida de véspera, espera-a cuidadosamente dobrada no sofá da sala. Afinal, o primeiro dia num novo emprego é sempre importante.
Ainda não se sente em casa, mas sabe que isso virá com o tempo. Foram demasiadas mudanças em tão pouco tempo. Está onde sempre sonhou e finalmente deu o passo que levou anos de coragem a dar.
De súbito, uma campaínha toca não sabe onde. A porta,pensou… ainda nem conhecia o toque da própria campaínha!
Mas não era daí…
O toque continuou, persistente, até que , aos poucos, o cenário foi mudando e se viu a reabrir os olhos, na cama de sempre, na mesma casa de sempre, para viver a vida de todos os dias.
Enrolou-se em si mesma e chorou, de raiva e de impotência.
Percebeu que há sonhos que podem nunca vir a acontecer.~

Foto daqui


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: