Publicado por: Ana | Janeiro 23, 2006

Percorre o caminho com os pés descalços. As gotas do orvalho da manhã molham-lhe os dedos enquanto sente a erva fresca debaixo de si.
O silêncio que reina é interrompido apenas pelos seus passos a restolhar, sincopados, por entre ramos secos.
Pára.
Não se ouve um som sequer.
Respira fundo e deita-se no solo, olhando o céu azul entrecortado pelo verde das árvores. Aos poucos, o sol vai nascendo e a luz modifica as cores da natureza.
Respira fundo e ri enquanto rebola na erva. Sente o cheiro da terra molhada, tão próxima de si e tão sólida que lhe dá uma segurança nunca antes sentida.
Levanta-se a contragosto, desagrada-lhe quebrar aquela harmonia.
Leva na mão um punhado de terra e ervas …

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: