Publicado por: Ana | Outubro 13, 2005

Cai sempre, cada vez mais.
Não vê o fundo.
Está escuro e já não sabe se sobe ou se desce, perde por completoa noção .
Apenas sabe que se move e a grande velocidade.
Fecha os olhos.
Abre os olhos.
Nada.
Escuridão total.
Rodopia no espaço e flecte-se sobre si mesmo, instintivamente em posição fetal para se preteger.
E gira, roda, rodopia.
E cai.
Pergunta-se quanto mais tempo irá cair.
Tempo. Que tempo?
Ali não existe tempo nem espaço.
Grita, mas nenhum som lhe sai da boca.
Desiste e deixa-se ir até ao sítio onde sabe que deixará de existir.
Acorda encharcado em suor.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: